Blog de Notícias

DICAS E INFORMATIVOS



dente-escuro-trauma.png
11/set/2017

 

Traumatismos dentários são muito comuns e podem surgir decorrentes de diversas situações como uma queda, acidentes de trânsito ou durante a prática esportiva. As sequelas de uma pancada variam desde a alteração de cor até a perda do dente, portanto todo traumatismo deve ser visto como urgência. Fique atento se sua boca for atingida mesmo o dente não tenha quebrado. O cirurgião-dentista Wellerson Abreu de Oliveira explica sobre o tratamento para reversão do escurecimento do dente.

Por que o dente pode escurecer após um trauma?

O escurecimento dentário ocorre a partir da hemorragia pulpar (rompimento dos vasos sanguíneos presentes no interior da raiz do dente), que deve ser analisado clinicamente pelo dentista, pois pode progredir para uma necrose pulpar, o que exigiria um tratamento mais invasivo. Mesmo que a pessoa não identifique sinais de lesão logo após o impacto, após transcorrido algum tempo a alteração da cor pode ser percebida. “A vitalidade do dente é prejudicada pela ruptura do suprimento sanguíneo e nervoso da polpa dentária, o que contribui para que as estruturas se tornem opacas e sem brilho, possibilitando diferentes graus de escurecimento com o passar do tempo”, esclarece dr. Wellerson.

A mancha some sem intervenção do dentista?

Não se deve esperar que o escurecimento originado por um trauma desapareça sozinho. “O escurecimento dental decorrente de trauma, requer intervenção do dentista para a correção estética através do tratamento mais adequado”, diz o dentista. As técnicas mais utilizadas são tratamento endodôntico e clareamento dentário interno. Pode se utilizar também outras alternativas estéticas para esconder o escurecimento como uso de facetas de porcelana, resina composta ou materiais protéticos.

O tratamento endodôntico, também conhecido como tratamento de canal, é indicado para danos irreversíveis na polpa enquanto o clareamento é realizado para traumas menos agressivos. Para identificar a técnica mais adequada a ser realizada, o profissional levará em conta fatores como tempo decorrente do trauma ou tratamento de canal, e a intensidade do escurecimento.

Esse dente pode ser perdido?

Segundo dr. Wellerson na maioria dos casos é baixo o risco de perda do dente, contudo em casos extremos a necrose pulpar se torna crônica e a infecção pode afetar os tecidos de sustentação do elemento dental. Em todo caso, é recomendado uma consulta ao dentista para melhor avaliar a situação e indicar o tratamento mais adequado.


dentes-escuros.jpg
21/jul/2017

 

O dramaturgo inglês William Shakespeare dizia que é mais fácil obter o que se deseja com um sorriso do que à ponta da espada. E para que tenhamos um sorriso capaz de abrir portas, como sugere o escritor, uma dentição saudável e bonita é fundamental. Dentes brancos denotam as duas coisas para aqueles que observam, e garantem as duas coisas para aqueles que os ostentam. E, para mantê-los assim, é necessário que tomemos alguns cuidados quanto a nossa higiene bucal, assim como ao consumo de alguns alimentos e substâncias. Conheça quais são as causa e as principais substâncias que levam ao escurecimento dos dentes:

O que pode causar o escurecimento dos dentes?

Vários fatores podem ocasionar o escurecimento dos dentes. Um simples tratamento de canal, por exemplo, pode gerar escurecimento por uma manipulação deficiente dos produtos utilizados no tratamento. O uso contínuo de antibióticos também pode contribuir para o processo, assim como a morte da polpa dental, chamada de necrose.

Entretanto, os grandes vilões do escurecimento são algumas substâncias que consumimos e que causam efeito direto na aparência de nossos dentes, como refrigerantes, bebidas alcoólicas, alguns alimentos e o cigarro.

Substâncias ácidas

Algumas bebidas alcoólicas e refrigerantes, principalmente os de sabor limão e cola, possuem substâncias ácidas que atuam diretamente nos dentes, promovendo a erosão ácida do esmalte, tecido basicamente formado por minerais e que, juntamente com a dentina e a polpa dentária, forma nossos dentes. A medida que a erosão do esmalte avança, o dente se torna mais poroso e, por consequência, mais suscetível ao escurecimento.

Devemos ficar atentos, também, a alguns sucos que, embora naturais, possuem substâncias ácidas semelhantes as dos refrigerantes e bebidas alcoólicas, tendo efeito similar em nossa arcada dentária.

Pigmentação excessiva

Alguns alimentos que consumimos cotidianamente possuem um alto teor de pigmentação e, por isso, podem causar o escurecimento dos dentes se consumidos em excesso. Estão neste grupo frutas e leguminosas como a amora, cereja, açaí, uva e beterraba.

Por também possuírem substâncias que promovem uma pigmentação excessiva, incluem-se neste grupo os chá e cafés, bem como o molho de soja, usado principalmente na culinária asiática.

Algumas dicas para evitar os danos causados por esta pigmentação são a redução do consumo destes alimentos, bem como realizar a escovação e o uso do fio dental após as refeições. Se não for possível, um simples enxágue bucal após seu consumo pode ser muito útil, pois um bochecho caprichado com um pouco de água ajudará a diminuir a concentração destas substâncias em seus dentes.

O vinho e seus dentes

O vinho é um caso especial em nossa lista, pois agrega os dois itens apresentados anteriormente. Além de possui uma excessiva pigmentação a bebida também tem substâncias ácidas que atuam na erosão do esmalte dentário.

Alcatrão e nicotina

Vilão de todas as horas, o cigarro também prejudica nossos dentes. O alcatrão e a a nicotina, substâncias químicas presentes em sua composição, causam o surgimento de manchas escuras e deixa os dentes amarelados com o passar do tempo.

Diferentemente dos alimentos pigmentados, um simples enxágue bucal não resolve nesse caso. Os cuidados para evitar envolvem a suspensão total do consumo do cigarro. Como opções de tratamento, podem ser utilizados métodos de clareamento dental. Entretanto, mesmo o clareamento não surtirá o efeito desejado se o paciente seguir fazendo uso do cigarro.

Uma boa prática de higiene bucal é capaz de reduzir consideravelmente possíveis problemas com a aparência de seus dentes. Vimos também como alguns truques, como o bochecho de água, também podem ser bons aliados. Entretanto, jamais desconsidere a assistência de um especialista para avaliar o surgimento de manchas ou o escurecimento de seus dentes. Supere aquele medo do dentista e mantenha seu sorriso em dia!


mito.verdade.jpg
21/jul/2017

O Brasil é o país com a maior quantidade de dentistas no mundo, são mais de 280 mil profissionais, mas apesar do recorde, menos da metade dos brasileiros visitam regularmente o dentista, conforme dados do IBGE.

A Pesquisa Nacional de Saúde revelou que 67,4% dos entrevistados avaliaram sua saúde bucal como “boa ou muito boa”. No entanto, 11% da população com mais de 18 anos já perderam todos os dentes – índice ainda mais alarmante para a população acima dos 60 anos: 41,5%.

Esses dados assustadores podem estar relacionados a falta de consultas odontológicas periódicas e a desinformação de grande parte da sociedade acerca do assunto.

Para sanar dúvidas e desmistificar informações incorretas, elaboramos uma lista com mitos e verdades sobre saúde bucal.

1. A idade é a causa principal da perda dos dentes.

MITO – Os dentes não possuem data de validade. Apenas os dentes de leite devem cair, os dentes permanentes, se bem tratados, permanecem na boca a vida toda, mesmo até idade avançada. Problemas na gengiva são os maiores causadores da perda de dentes, outras causas são cáries, mau posicionamento dos dentes, bruxismo, trauma dental, medicamentos agressivos, doença genética e abuso de drogas.

2. Alimentos gelados deixam os dentes mais sensíveis.

MITO – Dentes que já possuam alguma lesão ficam mais sensíveis ao frio, os alimentos gelados não aumentam a sensibilidade. Quando a pessoa possui gengiva retraída, esmalte muito fino ou dente trincado, os túbulos dentinários que possuem conexão com a polpa se tornam mais expostos, o que aumenta a sensibilidade.  A percepção normalmente volta ao normal após a exposição ao estímulo.

3. Escovar os dentes 3 vezes ao dia mantém os dentes saudáveis.

VERDADE – A escovação dos dentes e da língua, aliada ao uso do fio dental, auxilia na prevenção ao risco de cárie e mau hálito. Especialistas recomendam ainda visitas semestrais ao dentista para procedimentos de profilaxia bucal.

4. Problemas bucais podem estar relacionados a dores de cabeça.

VERDADE – A disfunção da articulação temporomandibular (ATM), pode causar dores de cabeça e pescoço, dor e pressão atrás dos olhos, além de dores de ouvido. As principais causas desse problema são má oclusão dentária, tensão muscular, lesões cariosas extensas, perda ou desgaste de dentes, restaurações antigas e bruxismo. Entretanto a enxaqueca não é causada por disfunção de ATM.

5. A TPM pode causar mau hálito.

VERDADE – As alterações hormonais que precedem à menstruação diminuem a quantidade de água no organismo. O desequilíbrio hídrico reduz o fluxo salivar e causa mais saburra lingual, fatores que contribuem para o surgimento do mau hálito. Somado a isso, o estresse emocional provoca a produção do hormônio epinefrina, que causa também a hipossalivação. Além da TPM, a má alimentação e digestão, ausência da higiene bucal ou limpeza ineficiente, são fatores que potencializam o mau hálito.

6. Sucos ácidos causam mau hálito.

MITO – Os sucos cítricos são adstringentes e bactericidas, além de estimular a salivação que, por sua vez, promove a limpeza da boca. Algumas frutas como limão, acerola, e laranja ajudam a combater a halitose. Algumas plantas medicinais também podem ser úteis para a prevenção do problema, como a erva cidreira e a hortelã que aparecem como uma opção benéfica para o sistema digestivo e podem ajudar na prevenção do problema.

7. Canela, menta e gengibre melhoram o hálito.

MITO – Esses alimentos somente mascaram momentaneamente o hálito e não combatem a halitose. A necessidade do uso recorrente desses artifícios pode ser um indicativo de que algo está em desordem no organismo.

8. Cebola e alho são inimigos do hálito.

VERDADE – Esses alimentos exalam muitos compostos derivados do enxofre de natureza altamente volátil. O mesmo acontece com brócolis, couve e repolho, que apesar de saudáveis, podem prejudicar o hálito. O ideal é redobrar o cuidado com a higiene bucal após o consumo desses alimentos.

9. Consumo de chips é prejudicial aos dentes.

VERDADE – Após entrar em contato com a saliva, esses petiscos se tornam mais viscosos e pegajosos, podendo ficar mais tempo na boca. Isso facilita que resquícios se acumulem entre os dentes e alimentem bactérias causadores de cáries. É recomendado escovar os dentes e usar fio dental após o consumo desses salgadinhos.

10. Refrigerante pode causar cárie.

VERDADE – Os ácidos e o açúcar presentes nos refrigerantes e isotônicos desmineralizam o esmalte dental, contribuindo para a formação da cárie. Faça, sempre que possível, um bochecho com água após o consumo dessas bebidas para remover vestígios e diminuir o tempo em que o esmalte fica exposto aos ácidos.

11. Rir alivia a dor de dente.

VERDADE – A risada libera endorfina que pode amenizar a sensação de dor. Em um estudo realizado pela Universidade de Oxford, na Inglaterra, os cientistas perceberam que um grupo de voluntários que haviam gargalhado eram capazes de suportar até 10% mais a dor, do que antes de rirem. “O riso relaxa o corpo e a mente, fortalece as defesas orgânicas, melhora a circulação e a pressão arterial e libera endorfinas, que promovem uma sensação de bem-estar geral. Enfim, rir é saudável”, explica Eduado Lambert, em seu livro “A Terapia do Riso”.

12. Dente tratado endodonticamente não sentirá mais dor.

MITOApós o procedimento de retirada total da polpa (pulpectomia), o dente tratado corretamente estará desvitalizado, o que pode causar a impressão de que toda a região perdeu a sensibilidade. Porém, se a restauração final estiver em contato prematuro com o periodonto, tecido conjuntivo que fixa o dente, o paciente poderá sentir dor.

13. Tratamento de canal enfraquece os dentes.

VERDADEO tratamento endodôntico é indicado para dentes que já apresentam lesão cariosa profunda ou sofreram trauma, ou seja, já estão enfraquecidos. Além disso, a polpa, composta por vasos sanguíneos e nervos, fornece suprimento ao dente e após a sua remoção o dente se torna mais frágil quando comparado a um dente saudável.

14. São necessárias várias sessões para concluir um tratamento de canal.

MITOTratamentos endodônticos podem ser realizados em sessão única dependendo da lesão e complexidade do tratamento.

15. Tratamento de canal pode escurecer os dentes.

VERDADE O tratamento de canal PODE causar o escurecimento do dente quando há falha no procedimento técnico ou hemorragia interna. Os cones de guta percha, devem ocupar apenas a porção radicular, quando parte deles não é cortada devidamente e permanecem na coroa o dente poderá escurecer.

16. Clareamento deixa os dentes mais sensíveis.

VERDADE – Após o clareamento algumas pessoas percebem o aumento da sensibilidade, enquanto outras não notam diferença. Contudo, atualmente existem produtos que minimizam esse efeito indesejável após o clareamento.

17. Muito café escurece os dentes.

VERDADE – Devido à permeabilidade do esmalte dentário, alimentos que possuem muito corante, como o café, podem manchar os dentes. Outros alimentos como açaí, chá mate, chá preto, vinho tinto, fumo e beterraba também podem pigmentar os dentes. Para diminuir o escurecimento, faça bochecho com água após o consumo e visite regularmente um dentista.

18. Chiclete sem açúcar auxilia contra a cárie.

MITO – Mascar chiclete sem açúcar não previne cárie. Somente a escovação e o uso do fio dental tem eficiência comprovada.

19. É necessário a troca regular das escovas de dente.

VERDADE – O ideal é a troca da escova a cada três meses. As cerdas de escovas antigas perdem a eficiência sendo necessário um aumento da força no momento da escovação, o que pode prejudicar a gengiva e a dentição.

20. É melhor escovar os dentes logo após o término da refeição.

MITO – O recomendado é aguardar, cerca de 30 minutos após a refeição, para escovar os dentes. Esse período é necessário para que a saliva possa agir e neutralizar o PH dos alimentos e bebidas.

21. Uma boa escovação precisa ser demorada.

VERDADE – Uma escovação de qualidade dura em média dez minutos. Algumas pessoas preferem escovar o dente mais vezes ao dia, gastando apenas dois minutos na em cada escovação. Contudo, é melhor fazer apenas três escovações diárias da forma correta, pois a qualidade é mais importante que a quantidade.

22. Higienização noturna é a mais importante.

VERDADE – A noite diminui o fluxo de saliva, que auxilia na limpeza e proteção dos dentes. Além disso, vestígios de alimentos podem ficar muito tempo acumulados entre os dentes propiciando a formação de tártaro e surgimento de cárie. Por isso, escovar os dentes antes de dormir é tão importante.

23. É preciso usar muito creme dental.

MITO – A escova de dente é a responsável pela limpeza, e não o creme dental. Deve-se aplicar uma pequena quantidade de dentifrício entre as cerdas da escova para evitar que seja engolida facilmente.

24. Excesso de escovação prejudica a dentição.

VERDADE – A escovação exagerada pode provocar o desgaste do esmalte dental e o encolhimento da gengiva. Escovar três vezes ao dia, de forma adequada, é o ideal. Também é importante evitar exercer muita pressão ao escovar os dentes.

25. Enxaguante bucal pode substituir a escovação.

MITO – A escovação e o uso do fio dental são comprovadamente os métodos mais eficientes para a limpeza bucal, os enxaguantes devem ser utilizados como complemento e nunca como substituto. Evite enxaguantes que contenham álcool na composição.

26. Infecções dentárias podem causar transtornos na gestação.

VERDADEA periodontite, processo inflamatório dos tecidos ao redor dos dentes, pode causar parto prematuro.  Os microorganismos presentes na placa bacteriana, ao entrarem na corrente sanguínea, estimulam a produção do hormônio prostaglandina, que provoca contrações do útero e acelera o trabalho de parto.

27. Não se deve usar anestésico em gestantes.

MITO – É permitido o uso de anestesia em gestantes, desde que a substância anestésica não seja vasoconstritora. Por esse motivo é importante que a paciente informe a gravidez ao cirurgião-dentista.

28. O dente siso é o mais difícil de extrair.

VERDADEA extração do siso é mais complexa por que o dente está em um local de difícil acesso e, muitas vezes, em uma posição inclinada que dificulta a remoção. Técnicas mais modernas possibilitam uma extração tranquila e menos traumática.

29. O siso pode nascer cariado.

MITO – Qualquer dente só estará sujeito às cáries após exposição ao meio bucal. Entretanto, se o siso estiver semi-incluso, ou seja, parcialmente exposto, é possível que ele desenvolva cárie em razão de uma higienização ineficiente.

30. Todas as pessoas devem retirar os dentes sisos.

MITO – Cada situação deve ser avaliada individualmente. Em muitos casos os sisos nascem na posição correta, há espaço suficiente na boca e, portanto, não é preciso efetuar a extração. Em outros casos o siso pode, inclusive, não nascer. Recomenda-se, entretanto, a retirada do chamado dente antagonista que corresponde ao dente oposto ao que foi extraído para evitar desalinhamento da arcada dentária por má oclusão. Se for retirado o siso inferior direito, o antagonista será o siso superior do mesmo lado, que também deve ser extraído caso tenha perdido o apoio.

 

Referências:

Pesquisa Nacional de Saúde do IBGE.

Site do CFO, Conselho Federal de Odontologia, acesso em 07/2017.

 

Dicas da OdontoWell para correta higienização bucal:

Evite o consumo excessivo de açúcar;
Escove os dentes após as principais refeições e antes de dormir;
Lembre-se de escovar a língua para prevenir o mau hálito;
Use regularmente fio dental e flúor;
Opte por cremes dentais fluoretados;
Escolha escovas com cerdas macias que não machucam a gengiva;
Lave bem a escova após o uso;
Visite o dentista a cada seis meses e efetue a profilaxia.

 

Dentistas: Wellerson Abreu de Oliveira e Ghabriel Figueiredo de Abreu Oliveira


sensibilidade-dente-gelo.jpg
21/jul/2017

 

Uma das principais causas da sensibilidade é a exposição da dentina em função do desgaste do esmalte dentário.  Fraturas, cáries, bebidas e alimentos ácidos, entre outros fatores, podem prejudicar a superfície do dente e deixa-los mais suscetíveis a dor. Simples atitudes podem evitar seu sofrimento com os dentes sensíveis e eliminar o desconforto ao consumir alimentos gelados ou quentes.

Dicas para diminuir a sensibilidade dentária:

  • Escovas – Prefira escovas com as cerdas macias, que não machucam a gengiva nem causam danos ao esmalte dos dentes;
  • Força – Não escove com muita força, a escovação incorreta pode causar a retração da gengiva e gerar sensibilidade;
  • Flúor – Utilize cremes dentais que possuem flúor;
  • Tratamentos dentários – Utilize tratamentos indicados pelo seu dentista e evite receitas caseiras para clareamento dentário que podem agravar problemas bucais;
  • Clareamento dental – Cuidado com os clareamentos dentais caseiros. Somente um dentista, após avaliar a atual situação dos seus dentes, deve realizar o procedimento;
  • Bruxismo – Se você tem bruxismo, procure um tratamento, pois ele interfere na sensibilidade dos dentes.
  • Alimentação – Evite bebidas ácidas como refrigerantes, energéticos e isotônicos. Evite também vinagre nas saladas, opte pelo azeite e sal para evitar o choque nos dentes sensíveis.
  • Higiene Bucal – Tenha uma higiene bucal adequada, escovando os dentes três vezes ao dia e utilizando o fio dental.

A sensibilidade nos dentes pode ser sintoma de um problema bucal, portanto, é importante consultar um dentista ao notar qualquer alteração na sua saúde oral. Especialistas recomendam consultas periódicas a cada seis meses, agende uma consulta na OdontoWell Clínica Odontológica.


afta.png
21/jul/2017

As aftas são pequenas úlceras dolorosas que aparecem na cavidade bucal, podendo se manifestar na mucosa da boca, embaixo da língua, garganta e gengiva. Elas incomodam muito, pois causam dor que resultam em dificuldades para comer, falar e até escovar os dentes.

O aparecimento das aftas pode ser causado por vários fatores como baixa imunidade, estresse emocional, reações alérgicas, trauma, alterações hormonais, deficiências nutricionais (falta de vitamina b12, ferro ou ácido fólico) e tendências genéticas tornam a pessoa mais susceptível às aftas.

A duração de uma afta é de cerca de 10-14 dias e geralmente não precisam de tratamento, porém, quando a afta demora para cicatrizar ou forem grandes, o paciente deve ficar atento. Se as aftas também aparecem de forma recorrente, é recomendado que o paciente procure um médico.

Durante o período de recuperação, deve-se evitar alimentos ácidos, muito condimentados ou apimentados, pois são irritantes. Além disso deve-se escovar os dentes com cuidado para não traumatizar as regiões afetadas.

Para um alívio da dor pode ser indicada uma pomada para uso local ou até medicamentos via oral, ambos prescritos pelo médico ou dentista.

O ideal é que o paciente tenha uma boa higiene oral, escovando os dentes após as refeições e utilizando o fio dental diariamente, manter uma alimentação e hábitossaudáveis.


Endodontia BH | Reabilitação Oral BH | Clareamento Dentário BH | Prótese sobre Implante BH | Placa de Ronco BH | Tratamento Halitose BH | Consultório Dentista BH